quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Pra que serve o jejum?



2 Sm 12.15-23
15. Depois que Natã foi para casa, o Senhor fez adoecer o filho que a mulher de Urias dera a Davi.
16. E Davi implorou a Deus em favor da criança. Ele jejuou e, entrando em casa, passou a noite deitado no chão.
17. Os oficiais do palácio tentaram fazê-lo levantar-se do chão, mas ele não quis, e recusou comer.
18. Sete dias depois a criança morreu. Os conselheiros de Davi ficaram com medo de dizer-lhe que a criança estava morta, e comentaram: “Enquanto a criança ainda estava viva, falamos com ele, e ele não quis escutar-nos. Como vamos dizer-lhe que a criança morreu? Ele poderá cometer alguma loucura!”
19. Davi, percebendo que seus conselheiros cochichavam entre si, compreendeu que a criança estava morta e perguntou: “A criança morreu?” “Sim, morreu”, responderam eles.
20. Então Davi levantou-se do chão, lavou-se, perfumou-se e trocou de roupa. Depois entrou no santuário do Senhor e o adorou. E, voltando ao palácio, pediu que lhe preparassem uma refeição e comeu.
21. Seus conselheiros lhe perguntaram: “Por que ages assim? Enquanto a criança estava viva, jejuaste e choraste; mas, agora que a criança está morta, te levantas e comes!”
22. Ele respondeu: “Enquanto a criança ainda estava viva, jejuei e chorei. Eu pensava: Quem sabe? Talvez o Senhor tenha misericórdia de mim e deixe a criança viver.
23. Mas agora que ela morreu, por que deveria jejuar? Poderia eu trazê-la de volta à vida? Eu irei até ela, mas ela não voltará para mim”.

Davi cometeu um pecado terrível e um filho nasceu desse ocorrido. A criança morreria como punição do pecado e Davi se arrepende, se coloca diante de Deus em jejum e em oração, implorando pela vida da criança. Apesar disso tudo, a criança falece. Ao descobrir que isso tinha acontecido, Davi levantou-se e seguiu com sua vida normal como rei. Ele esperava que sua posição de humilhação diante de Deus talvez O fizesse mudar de ideia. Como isso não aconteceu, ele lamentou e seguiu com a vida. Isso pode parecer uma reação fria, mas não se esqueça que ele tinha acabado de passar sete dias pedindo a misericórdia de Deus. Quando recebeu o “não” do Senhor, não o questionou mais.
O profeta tinha anunciado que seu filho morreria, mas mesmo assim, Davi insistiu com Deus. Existem relatos na Bíblia de casos onde servos do Senhor conversaram com Ele e fizeram Ele mudar de ideia ou aliviar alguma penalidade. Um dos exemplos mais famosos é Abraão pedindo que Deus salve Sodoma em Gênesis 18.
É curioso ver histórias de homens argumentando com Deus e pedindo sua misericórdia e muitas vezes, o jejum faz parte dessas petições. Em alguns casos vemos até que Deus muda seu plano inicial em favor daqueles que Ele ama.

1- O jejum nos aproxima de Deus
Joel 2.12-15
12. “Agora, porém”, declara o Senhor, “voltem-se para mim de todo o coração, com jejum, lamento e pranto.”
13. Rasguem o coração, e não as vestes. Voltem-se para o Senhor, o seu Deus, pois ele é misericordioso e compassivo, muito paciente e cheio de amor; arrepende-se, e não envia a desgraça.
14. Talvez ele volte atrás, arrependa-se, e ao passar deixe uma bênção. Assim vocês poderão fazer ofertas de cereal e ofertas derramadas para o Senhor, o seu Deus.
15. Toquem a trombeta em Sião, decretem jejum santo, convoquem uma assembléia sagrada.

Aqui vemos um relato direto da parte de Deus dizendo ao seu povo para se arrepender dos caminhos errados. O que está bem no meio disso tudo? O jejum. “Voltem-se para mim de todo o coração, com jejum, lamento e pranto”. O Senhor estabelece o jejum como parte fundamental do arrependimento daquele povo.
Um professor do meu seminário dizia que o jejum era como que um treinamento espiritual. Dizendo não ao alimento, algo que nosso corpo pede e é tão fundamental para nós, estamos nos fortalecendo. É o fortalecimento do domínio próprio. Existem muitas coisas em nossas vidas que não são necessárias e podemos abandona-las para nos aproximarmos do Senhor. O alimento, porém, é fundamental para a nossa existência. Quando abrimos mão daquilo que precisamos, e pior ainda, que gostamos muito, estamos dizendo um grande “não” para nós mesmos, um não para o nossa carne e colocando nossa vontade nas mãos do Senhor. É claro que nosso jejum tem um limite, pois depois disso o corpo começa a se enfraquecer. Mas apesar dessa fraqueza, nós enfraquecemos nossa carne também e nos aproximamos mais do Senhor.
O jejum não muda a Deus, mas muda a nós e nos faz mais próximos do Senhor.

2- O jejum deve ser íntimo entre você e Deus
Mateus 6.16-18
16. “Quando jejuarem, não mostrem uma aparência triste como os hipócritas, pois eles mudam a aparência do rosto a fim de que os outros vejam que eles estão jejuando. Eu lhes digo verdadeiramente que eles já receberam sua plena recompensa.
17. Ao jejuar, arrume o cabelo e lave o rosto,
18. para que não pareça aos outros que você está jejuando, mas apenas a seu Pai, que vê em secreto. E seu Pai, que vê em secreto, o recompensará.

Em vários lugares na Bíblia vemos o jejum sendo associado também a um momento de tristeza. Jônatas ficou sem comer quando se entristeceu com seu pai, o rei Saul (1 Samuel 20.34). Também é associado a humilhação diante de Deus, como por exemplo quando Nínive em peso creu em Deus e decretou um jejum para que o Senhor os aceitasse e os perdoasse (Jonas 3.5).
Apesar disso tudo, Jesus aqui fala que o jejum não deve ser espalhafatoso, não deve ser feito para chamar a atenção. Algumas pessoas que jejuavam queriam chamar a atenção dos outros e assim aparentar espiritualidade. Até essas pessoas interesseiras sabiam que jejum tem a ver com espiritualidade e proximidade de Deus. O Jejum é algo entre você e Deus. Ninguém precisa ficar sabendo e não precisa fazer propaganda. Aqueles que buscam glórias, já terão recebido sua recompensa entre os homens. Os humildes alcançarão a graça divina.

+++++++++
Para terminar, gostaria de citar o que alguns grandes pregadores disseram sobre o assunto.

“O jejum cristão nasce da fome de Deus”.  “O jejum revela o grau de domínio que o alimento tem sobre nós. O jejum cristão é um teste para conhecermos qual é o desejo que nos controla”. John Piper

·         “Nossas temporadas de oração e jejum no tabernáculo têm sido, na verdade, dias de elevação; nunca a porta do céu esteve mais aberta; nunca os nossos corações estiveram mais próximos da glória.” Charles Haddon Spurgeon

·         “O jejum é um instrumento de mudança, não em Deus, mas em nós. Leva-nos ao quebrantamento e a humilhação e a ter mais gosto pelo pão do céu, do que pelo pão da terra. Jejum não é greve de fome, regime para emagrecer ou ascetismo. Também não é meritório. Ele sempre se concentra em finalidades espirituais.” Hernandes Dias Lopes

Jejum é uma abstinência com uma finalidade espiritual. Começar a jejuar é começar a morrer, é abrir mão daquilo que é essencial à sobrevivência, à subsistência. É uma forma de dizer que em algum momento da vida nós nos deparamos com uma realidade que é mais importante que a nossa própria sobrevivência. Jejum é esse passo em direção aquilo que é mais importante do que o permanecer vivo. Tudo isso precisa ser feito em um anonimato, e não depende de nós, mas de Deus. Nós não conquistamos, nós recebemos dádivas.” Pr. Ed René Kivitz

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Vitória e derrota


Existe um ditado popular que diz: diga-me com quem andas e te direi quem és.
Você concorda com esse ditado?

2 Crônicas 24:1
Joás tinha sete anos de idade quando se tornou rei, e reinou quarenta anos em Jerusalém. O nome de sua mãe era Zíbia; ela era de Berseba.

A história de hoje é focada em dois homens. Um era Joás, um rei, que começou  muito cedo a reinar, e o outro era Joiada, um sacerdote de Israel.
Podemos ver grandes coisas escritas a respeito de Joiada:

2 Crônicas 23:16-17
E Joiada fez um acordo pelo qual ele, o povo e o rei seriam o povo do Senhor.
Então todo o povo foi ao templo de Baal e o derrubou. Despedaçaram os altares e os ídolos, e mataram Matã, sacerdote de Baal, em frente dos altares.

Como sacerdote, Joiada acabou com uma rebelião, restaurou o templo como o lugar de adoração a Deus e guiou o povo a um acordo de fidelidade. Ele, o povo e o rei seriam daquele dia em diante o povo do Senhor. Joiada se demonstrou um servo fiel de Deus e um bom sacerdote.
E quando a Joás, o jovem rei?

2 Crônicas 24.2
Joás fez o que o Senhor aprova enquanto viveu o sacerdote Joiada.

Na versão do livro de 2 reis a frase fica um pouco diferente.

2 Reis 12:2
Joás fez o que o Senhor aprova durante todos os anos em que o sacerdote Joiada o orientou.

Esse verso nos traz uma história feliz, afinal o rei foi fiel a Deus e fez o que Ele aprova! Mas o final da frase é um banho de água fria. Ele fez isso, enquanto o sacerdote esteve vivo e o orientou.

2 Crônicas 24:14b-16
Enquanto Joiada viveu, holocaustos foram apresentados continuamente no templo do Senhor.
Joiada chegou à idade avançada, e morreu com cento e trinta anos.
Ele foi sepultado com os reis na cidade de Davi, em atenção ao bem que havia feito em Israel em favor de Deus e do seu templo.

Joiada, um grande sacerdote, homem de Deus, que fez Israel voltar ao caminho correto de Deus e ainda organizou uma reforma para o templo. Se lermos o capítulo de 2 Crônicas 23 ainda vemos que ele e sua esposa salvaram a vida do rei recém nascido e ele acabou com a rebelião. Se não fosse por ele, talvez Joás nem teria sobrevivido para ser rei.
Ele, com alta idade, faleceu, com grandes honras que não eram reservadas para alguém de sua classe social. Mesmo sendo sacerdote, foi enterrado em meio aos reis de Israel. Maior honra não poderia haver.
E quanto ao rei Joás? Que fim levou ele, um jovem promissor que estava junto desse sacerdote por praticamente toda sua vida? O que aconteceu com o jovem que reinou por 40 anos e tinha sido ensinado por um grande homem como Joiada?

2 Crônicas 24:17- 19
Depois da morte de Joiada, os líderes de Judá foram falar com o rei e lhe prestaram reverências, e ele aceitou o que disseram.
Então abandonaram o templo do Senhor, o Deus dos seus antepassados, e prestaram culto aos postes sagrados e aos ídolos. Por culpa deles, a ira de Deus veio sobre Judá e Jerusalém.
Embora o Senhor tivesse enviado profetas ao povo para trazê-los de volta para ele e os profetas tivessem testemunhado contra eles, o povo não quis ouvi-los.

Quantas vezes já não erramos? Quantas vezes não desobedecemos os mandamentos de Deus? Mesmo assim Deus está disposto a nos ouvir e nos perdoar. A Bíblia está recheada de histórias de pessoas que cometeram grandes erros, mas encontraram o amor e a graça de Deus. O texto nos fala que profetas foram enviados e pregaram a palavra de Deus. Mesmo assim o povo não ouviu.

Romanos 3:22b -24
Não há distinção, pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus,
sendo justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus.

A Bíblia nos coloca em pé de igualdade como raça humana dizendo que todos pecamos e precisamos da misericórdia de Deus.
Talvez seja arrogância da nossa parte querer julgar o que Joás fez achando que é um absurdo, porque também temos as mãos cheias de pecados. Devemos, porém, no mínimo, aprender com a vida e os erros dele, para não cair na mesma tentação. Porém ao invés de aceitar seus erros, humilhar-se diante de Deus e pedir perdão pelos seus pecados, Joás foi ainda mais longe.

2 Crônicas 24:20-22
Então o Espírito de Deus apoderou-se de Zacarias, filho do sacerdote Joiada. Ele se colocou diante do povo e disse: "Isto é o que Deus diz: ‘Por que vocês desobedecem aos mandamentos do Senhor? Vocês não prosperarão. Já que abandonaram o Senhor, ele os abandonará’ ".
Mas, alguns conspiraram contra ele e, por ordem do rei, apedrejaram-no até à morte no pátio do templo do Senhor.
O rei Joás não levou em conta que Joiada, pai de Zacarias, tinha sido bondoso com ele, e matou o seu filho. Este, ao morrer, exclamou: "Veja isto o Senhor e faça justiça! "

O filho de Joiada tinha sido escolhido por Deus para ser um porta-voz do Senhor. Assim como seu pai, ele continuaria pregando a palavra do Senhor e corrigindo o povo de seus maus caminhos. Mas infelizmente eles não ouviram Zacarias como tinham ouvido seu pai. O rei mandou que o matassem, ignorando totalmente tudo o que Joiada, o pai da vítima, tinha feito pelo povo de Deus. No momento de morte, Zacarias lança suas últimas palavras de profecia anunciando que o Senhor traria justiça.

2 Crônicas 24:24,25
Embora o exército arameu fosse pequeno, o Senhor entregou nas mãos dele um exército muito maior, por haver Judá abandonado o Senhor, o Deus dos seus antepassados. Assim o juízo foi executado sobre Joás.
Quando os arameus foram embora, deixaram Joás seriamente ferido. Seus oficiais conspiraram contra ele, porque ele tinha assassinado o filho do sacerdote Joiada, e o mataram em sua cama. Assim ele morreu e foi sepultado na cidade de Davi, mas não nos túmulos dos reis.

Aqui vemos qual foi o final do rei Joás. Um homem que começou bem, sob o conselho de um servo de Deus, jovem e promissor, se tornou um assassino, foi humilhado em guerra e quando ferido e indefeso, foi traído pelos seus próprios compatriotas, pois tinha matado o filho de Joiada, quem tinha sido seu conselheiro e quem tinha salvado sua vida. Além disso, ainda foi sepultado em um lugar de pouco destaque. Nem sabemos exatamente onde, só que não foi onde os reis eram sepultados. Ou onde o próprio Joiada tinha sido sepultado.

Que triste fim para esse homem que não soube ser fiel a Deus e preferiu ouvir o conselho de línguas venenosas. Um homem que tinha sido ensinado no bom caminho do Senhor, no momento em que seu líder morre, abandona tudo aquilo que tinha aprendido e se torna o responsável pela decadência de tudo o que seu mestre tinha reconstruído.

++++++++++++++++++++++++++++++
Da vida de Joás devemos aprender duas coisas:
1- Seu relacionamento com Deus é pessoal
Não importa se você frequenta a igreja, se seus pais são cristãos fervorosos, se você nasceu em berço cristão. Nada disso importa no seu relacionamento com Deus. Por quê? Porque você tem que andar com Deus. Seus pais podem ser fiéis, seus irmãos, toda sua família e seus amigos, mas se você se afastar de Deus, você ficará longe do Senhor e vai perder tudo o que Ele tem a nos oferecer.
Meu professor de escola dominical dizia que “não existem netos de Deus. Só filhos de Deus.” Você é responsável pelo seu relacionamento com Deus.
O mesmo acontece com seus familiares. Se você for como Joiada e servir a Deus, dar bom exemplo e ensinar seus filhos no caminho correto, ainda assim é possível que eles não sigam o caminho correto se eles assim escolherem. A liberdade que Deus nos deu para escolher o rumo de nossa vida é real. Ninguém irá amarrado para o céu. Você será salvo se escolher o caminho da salvação no Senhor. Não ache que a religiosidade de seus pais ou amigos te darão “pontos” diante de Deus. Você deve andar com Deus.

2- Não use as pessoas como muletas da sua fé
O rei Joás era fiel a Deus, mas a partir do momento que Joiada morreu, ele se desviou totalmente do caminho correto. Ele dependia de Joiada de tal maneira que ele não sabia ser servo de Deus sem ele. Talvez isso queira dizer que ele, na verdade, não era obediente ao Senhor. Ele era como aquela pessoa que vai a igreja porque sua família leva. Como aquela pessoa que ora porque todos estão orando e canta porque todos estão cantando. Mas não o faz de coração, porque na primeira oportunidade, assim como Joás fez, ela escolhe seguir o caminho da destruição e do pecado.

Como anda sua vida espiritual? Você tem sido um seguidor de Cristo? Você como pessoa, sozinho, consegue estar com Deus e adorá-lo? Você fala com Deus e se dedica às coisas de Deus mesmo quando ninguém vê?
Você depende muito das pessoas para fazer as coisas para Deus? Quando os outros se vão, você continua cristão, ou tem duas caras? Tem sido fácil ser cristão na igreja mas difícil durante a semana no trabalho, em casa e nas ruas?

Temos que refletir na vida de Joiada e de Joás. Um foi um servo fiel até o fim e usou sua vida fazendo a obra do Senhor. Mesmo em morte foi coberto de honras. O outro é um rei, que mesmo sendo a pessoa mais importante do país, é uma pessoa miserável por dentro, que trai seu mestre, seu Deus e seu país quando os outros não estão olhando.
Quem você tem sido? O sacerdote ou o rei? Reflita sobre sua vida e mude.

2 Crônicas 22.19
Embora o Senhor tivesse enviado profetas ao povo para trazê-los de volta para ele e os profetas tivessem testemunhado contra eles, o povo não quis ouvi-los.

Deus tem falado. Ele tem ensinado. Ele tem corrigido. Não seja teimoso. Ouça a palavra do Senhor e endireite seus caminhos enquanto ainda há tempo.

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Oração ao Deus verdadeiro


2 reis 19.15-19
E Ezequias orou ao Senhor: "Senhor, Deus de Israel, que reina em teu trono, entre os querubins, só tu és Deus sobre todos os reinos da terra. Tu criaste os céus e a terra.
Dá ouvidos, Senhor, e vê; ouve as palavras que Senaqueribe enviou para insultar o Deus vivo.
É verdade, Senhor, que os reis assírios fizeram de todas essas nações e seus territórios um deserto.
Atiraram os deuses delas no fogo e os destruíram, pois não eram deuses; eram apenas madeira e pedra moldadas por mãos humanas.
Agora, Senhor nosso Deus, salva-nos das mãos dele, para que todos os reinos da terra saibam que só tu, Senhor, és Deus".

O rei Ezequias estava aflito. Um grande inimigo o cercava. Parecia poderoso demais para resistirem. Ele busca a ajuda do Senhor. Ele busca o refúgio em Deus. Ele entende que não são muralhas que os protege, mas sim o Senhor dos exércitos.
Nesse trecho vemos Ezequias pedindo que Deus os livre e ele afirma: é verdade que esse povo tem destruído nações e deuses, mas só fizeram isso porque esses deuses eram só estátuas. O Senhor é real. Jeová é Deus verdadeiro. O único, o criador e o Todo-Poderoso.
Esse é o Deus que viemos adorar hoje. Não uma estátua feita de pedra por mãos humanas. Um Deus real, verdadeiro e que ouve nossa oração e nosso louvor.
Deus decidiu livrar Ezequias e Israel naquele dia e os assírios, por maior que fosse seu exército, teriam que aceitar a derrota, pois eles não estavam indo contra Israel. Eles estavam indo contra o Deus de Israel.
Busque ao Senhor nesse dia. Assim como Ezequias fez, busque forças no Senhor e entregue a Ele todo o louvor, a adoração e tudo o que você é. Entregue-se nas mãos do Senhor. É Ele quem te protege. É Ele quem cuida de você.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Até onde você vai?


Ester 7.3-4
3. Então a rainha Ester respondeu: “Se posso contar com o favor do rei, e se isto lhe agrada, poupe a minha vida e a vida do meu povo; este é o meu pedido e o meu desejo.
4. Pois eu e meu povo fomos vendidos para destruição, morte e aniquilação. Se apenas tivéssemos sido vendidos como escravos e escravas, eu teria ficado em silêncio, porque nenhuma aflição como essa justificaria perturbar o rei”.


O rei Xerxes (ou Assuero) da Pérsia tinha uma nova rainha, Ester. Ela não revelou ao rei mas ela pertencia ao povo israelita, logo não era da mesma nação que o rei. Quando um dos líderes do rei decide armar um plano para que todo o povo de Ester seja eliminado, ela e seu amigo Mardoqueu ( ou Mordecai) ficam extremamente preocupados. Ester decide ir até a presença do rei, o que era proibido, exceto se fosse chamada, para interceder pelo seu povo. Mardoqueu e o resto do povo ficou orando e jejuando para que o plano desse certo.
No final das contas, Ester levou adiante seu plano e o rei concedeu o pedido que eles tanto desejavam e assim Israel conseguiu não só se defender, mas também destruir os inimigos que buscavam sua morte.
Ninguém conseguia resistir-lhes, porque todos os povos estavam com medo deles.
Várias coisas levaram a essa vitória:
  1. A vontade de Deus: eles eram o povo escolhido de Deus e o inimigo não poderia destruí-los. Eles buscaram a vitória em Deus, na oração e na batalha.
  2. A sabedoria: Ester sabia que teria que pedir misericórdia ao rei, e fez isso aos poucos, para que quando ela pedisse, o sim já estivesse garantido. Claro, isso só ocorreu porque Deus estava por trás de tudo e pela sabedoria da rainha Ester.
  3. A coragem para ir além do esperado: Ela poderia abandonar seu povo, já que ela já era rainha, mas ela não abandonou suas raízes. Ela mostrou que, mesmo que custasse a sua vida, ela não desistiria, ela faria a vontade de Deus e salvaria seu povo.
Muitas vezes nós temos nos esforçado pouco para fazer coisas que precisamos fazer, mas achamos chatas ou inconvenientes. Mesmo sabendo que podia custar sua vida, Ester levou adiante a vontade de Deus. Ela estava confortável em sua situação, mas não podia ficar em paz sem fazer nada sabendo que ela podia salvar aquelas vidas.
Jesus fez o mesmo também ao fazer a vontade de Deus, mesmo que isso custasse sua vida.
Qual é o seu limite? Qual seria a situação em que você largaria de Deus e seguiria com sua vida? Ester nos mostrou que para os servos de Deus, não existe esse limite. Não houve fim para o amor de Cristo por nós. Da mesma maneira, devemos fazer sua obra com dedicação sem limites, não importa os desafios que se coloquem em nossa frente.
Peça a Deus a força para enfrentar os desafios. Com Ele não podemos ser vencidos. 

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Devemos evangelizar as crianças


Alguns se perguntam por que devemos evangelizar as crianças. Se atentarmos às palavras de Jesus, o questionamento mais justo seria “Por que não?”

Mateus 19.13-15
Depois trouxeram crianças a Jesus, para que lhes impusesse as mãos e orasse por elas. Mas os discípulos os repreendiam.
Então disse Jesus: "Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino dos céus pertence aos que são semelhantes a elas".
Depois de lhes impor as mãos, partiu dali.
Vemos que Jesus estava seguindo seu rumo, indo de cidade em cidade ensinando e curando. Em um desses lugares, crianças foram trazidas para que Jesus orasse por elas. Os discípulos tentam impedir que as crianças cheguem até Jesus. Por que será? Talvez porque o ministério de Jesus era muito importante, o tempo que Ele ficava em cada lugar era limitado. Pessoas tentavam tocar em Jesus e Ele sempre tinha uma multidão que o seguia (Mateus 19.2 mostra isso). Talvez por serem crianças, talvez por achar que elas não levariam Jesus a sério como os adultos, os discípulos tentaram impedi-las. Jesus os repreende dizendo que não devem impedir as crianças de virem até Ele, completando ainda dizendo que o reino é das crianças e aqueles que são como elas.
Por que não deveríamos deixar as crianças virem até Jesus?

*vivemos num mundo perigoso e as crianças também
Por mais que os pais tentem proteger as crianças, não existe fuga desse mundo em que vivemos. O filho vai experimentar alegrias e tristezas, expectativas e decepções. Não tem como fugir disso. Por mais que os pais queiram que o filho tenha uma criação perfeita e não passe por nada de ruim, isso é impossível. As vezes queremos tanto proteger as crianças dos males do mundo que acabamos “protegendo” eles do bem também. Impedir as crianças de virem a Jesus é garantir que ela só vai experimentar o lado ruim da vida.

*vivemos num mundo perverso e as crianças também
Quer ver o quanto o mundo é ruim? Ligue a televisão. Casos de violências dos mais diversos tipos com pessoas de idades diferentes. Nada mais é respeitado. Se você é mulher, o mundo pode ser um lugar ainda mais perigoso. Quantas vezes eu, que sou homem, não me senti com medo por andar em certos lugares ou certos horários. Quando se é mulher é ainda mais complicado e difícil. As mulheres lutam há séculos por igualdade no trabalho e na sociedade como um todo, mas ainda estamos muito longe disso. Quantos casos de abusos contra mulheres acontecem em nosso país todo dia? A prostituição infantil é uma realidade terrível e ouvimos casos de brasileiros e estrangeiros que movem esse mercado.
Num mundo tão terrível é normal querermos que as crianças estejam protegidas disso, porém não é mais realista prepararmos as crianças ao invés de querer tampar os seus olhos? O que é melhor? Que as crianças saibam que esse mal existe e se preparar para se afastar disso ou que ela viva de olhos fechados para essa realidade? Sabemos que não há como protegê-los para sempre, então de que adianta fechar os seus olhos para que um dia o mundo os abra violentamente?
É melhor conversar sobre drogas com os filhos em casa do que ver ele descobrir na escola sobre elas. É melhor explicar sobre sexo em casa aos filhos do que vê-los aprender sobre isso com os amigos. Pelo mesmo motivo é importante que as crianças não apenas tenham acesso ao ensino da Palavra de Deus, mas seja incentivado e ensinado sobre isso, em casa em família e na igreja em comunhão. Melhor ainda, pois na igreja a criança cria laços de amizade com outras crianças que também estão aprendendo sobre a Palavra. Ela cresce junto de outras crianças que, como ela, estão crescendo e aprendendo sobre tudo aquilo que Deus espera de nós.

*o diabo não espera a criança ser maior de idade
Você realmente acha que o diabo, o inimigo de nossas almas, aquele que quer nos ver morrer e ser destruídos, tem algum respeito por nossos filhos? A cada dia vemos os males do mundo alcançar as crianças mais cedo.
Outro dia eu estava passeando no parque e várias crianças estavam brincando. Perto delas tinham alguns jovens usando drogas. Nas escolas, as drogas e as bebidas são uma realidade e não um medo infundado. Na minha escola não se falava abertamente sobre drogas, mas eu sabia que os alunos bebiam pelas histórias das festinhas. Menores de idade em festas, bebendo, se drogando e fazendo sexo não parece mais tão chocante quanto era ultimamente. Isso porque já é algo tão comum que já vemos em toda parte. Filmes, novelas, na tv. O estranho seria demonstrar adolescentes que não fazem nada disso.

2 Timóteo 3.16-17
Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça,
para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra.

Somos bombardeados pelas ideologias de uma era onde não existe mais certo ou errado, mas cada um faz o que quer e ninguém quer prestar contas a ninguém. A Palavra de Deus nos ensina que existe certo e errado e que é muito importante que conheçamos a Palavra para conhecermos o bem e o mal.
João 6.67-68
Jesus perguntou aos Doze: "Vocês também não querem ir? "
Simão Pedro lhe respondeu: "Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras de vida eterna.


O mundo jaz no maligno e se não ensinarmos nossas crianças sobre o caminho de Deus, só existe outro caminho que ele vai aprender: o do mundo. Se não deixarmos as crianças virem a Jesus a quem elas irão? Somente Jesus tem as palavras de vida eterna. Somente em Jesus existe a salvação. Você quer que seus filhos sejam salvos? Então devemos levar eles a Jesus. É trabalho da igreja ajudar a todos a chegarem a Cristo, não importa se for jovem, velho ou criança.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Tenha fé!


1 Samuel 1:9-11
Certa vez quando terminou de comer e beber em Siló, estando o sacerdote Eli sentado numa cadeira junto à entrada do santuário do Senhor, Ana se levantou
e, com a alma amargurada, chorou muito e orou ao Senhor.
E fez um voto, dizendo: "Ó Senhor dos Exércitos, se tu deres atenção à humilhação de tua serva, te lembrares de mim e não te esqueceres de tua serva, mas lhe deres um filho, então eu o dedicarei ao Senhor por todos os dias de sua vida, e o seu cabelo e a sua barba nunca serão cortados".

1 Samuel 1:20
Assim Ana engravidou e, no devido tempo, deu à luz um filho. E deu-lhe o nome de Samuel, dizendo: "Eu o pedi ao Senhor".
Existia um homem chamado Elcana. Ele tinha duas mulheres: Ana e Penina. Penina tinha filhos e provocava Ana, pois ela não podia ter filhos. Ana tinha um sonho. Ela queria ser mãe. Era algo que ela queria e sonhava com isso. Ela esperava que Deus realizasse seu sonho.
Quando queremos algo e pedimos a Deus podemos ter vários tipos de resposta. Pode ser que Deus realize nosso pedido e recebamos um sim. Pode ser que Deus diga não, o que não é algo que gostamos de ouvir.
Quando eu era jovem uma das minhas bandas favoritas (U2) ia fazer um show na minha cidade. Fiquei muito empolgado mas logo minha mãe me falou que eu não poderia ir, afinal de contas não tinha ninguém para ir comigo, e sozinho é que eu não podia ir. Fiquei chateado de ouvir um “não”, mas logo segui em frente. Comprei um dvd da banda para mim como prêmio de consolação. No final das contas foi melhor, pois os ingressos esgotaram em minutos e até alguns que dormiram na fila ficaram sem.

Nessa situação eu queria ouvir o sim, mas o que veio foi o não. O não é desagradável, mas ainda não é o pior. O problema é esperar. Esperar é o mais difícil.
Todos temos sonhos. Ter uma casa, um carro, um emprego, encontrar um par romântico. Quando recebemos um sim, tudo certo. Quando recebemos um não, é ruim, mas uma hora aprendemos e seguimos em frente. O difícil é esperar. É tão complicado esperar que muitas pessoas tomam a decisão errada apenas por não ter paciência de esperar, assim como um motorista que acelera no farol amarelo porque não quer esperar alguns segundos. Quem nunca ouviu aquele ditado que algumas pessoas dizem que “enquanto não encontram a ‘pessoa certa’ vão se divertir com as erradas? Isso é o exemplo típico de pessoas que erraram por ser impulsivo e não saber esperar.

⇒ Não tente atalhos. Espere no Senhor.
Gênesis 15:2-5
Mas Abrão perguntou: "Ó Soberano Senhor, que me darás, se continuo sem filhos e o herdeiro do que possuo é Eliézer de Damasco? "
E acrescentou: "Tu não me deste filho algum! Um servo da minha casa será o meu herdeiro! "
Então o Senhor deu-lhe a seguinte resposta: "Seu herdeiro não será esse. Um filho gerado por você mesmo será o seu herdeiro".
Levando-o para fora da tenda, disse-lhe: "Olhe para o céu e conte as estrelas, se é que pode contá-las". E prosseguiu: "Assim será a sua descendência".

Abraão tinha uma promessa de Deus de ser pai de uma grande descendência. Porém, como podemos ver, ele questionava Deus do porquê daquilo não ter acontecido. Deus tinha feito uma promessa, mas ele queria saber quando é que ela ia se cumprir. Um dia a paciência de Abraão e Sara acabou e eles decidiram tomar um atalho.

Gênesis 16:1,2
Ora, Sarai, mulher de Abrão, não lhe dera nenhum filho. Como tinha uma serva egípcia, chamada Hagar,
disse a Abrão: "Já que o Senhor me impediu de ter filhos, possua a minha serva; talvez eu possa formar família por meio dela". Abrão atendeu à proposta de Sarai.

É claro que isso gerou vários problemas, pois em vez de esperar o tempo de Deus eles decidiram “dar um jeitinho”. Vivemos numa época repleta disso. Quando queremos algo e não podemos ter, queremos dar um jeito. Todo mundo quer que se abra uma exceção, só para ele. O povo brasileiro tem PHD em passar a perna e enganação. Esse foi o caso aqui também. Abraão teve um filho com Hagar e, mais tarde, quando a promessa de Deus se cumpriu e Abraão conseguiu ter um filho com Sara, começou uma competição, pois Sara não queria mais que Hagar e seu filho ficassem na casa. Se eles tivessem seguido o plano de Deus, tido fé e paciência, tudo seria diferente.

⇒: Tenha fé em Deus.

Hebreus 11:6
Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam.

No primeiro texto que lemos vimos a história de Ana. Ela decidiu ter fé. Ela queria ter filho, mas não tomou uma atitude drástica ou irracional para conseguir isso. Ela não pegou uma criança na rua, não roubou o filho de alguém. Ela cria em Deus e, como diz o versículo, foi recompensada. Quando colocamos nossa fé em Deus O estamos adorando. Estamos confiando que Ele pode e vai fazer. Pode ser que assim como Ana, seu sonho é ter um filho. Mas não pense que você vai ter e ponto final. Tem pessoas que pensam: se eu não conseguir, vou adotar, e se isso não der certo vou fazer de outro jeito, e de outro… Pare por um segundo e confie em Deus! Talvez o que Deus tem para você não é ter um filho! Talvez seja. Talvez seu sonho não não seja esse, mas não importa se ele é um sonho grande ou pequeno. Seus sonhos são importantes para Deus. Ele te conhece e te ama.  O que é importante não é queremos “forçar” Deus a realizar nossos desejos, mas sim entregar nossos sonhos nas mãos de Deus e crer que Ele pode realizá-los. Lembre-se, Deus não é obrigado a realizar tudo o que queremos, mas se for para que nossos sonhos se concretizem, temos que ter fé. Uma fé inabalável de que Deus pode fazer em nossas vidas aquilo que nós não podemos.

Juízes 7:2,3
E o Senhor disse a Gideão: "Você tem gente demais, para eu entregar Midiã nas suas mãos. A fim de que Israel não se orgulhe contra mim, dizendo que a sua própria força o libertou,
anuncie, pois, ao povo que todo aquele que estiver tremendo de medo poderá ir embora do monte Gileade". Então vinte e dois mil homens partiram, e ficaram apenas dez mil.

Em algumas situações pode ser que o cinto aperte, as coisas se compliquem e tudo pareça difícil. Talvez Deus está permitindo isso tudo porque é na luta que mais buscamos forças no Senhor. Nesses versos Gideão está indo a batalha, mas a vitória não é dele. É de Deus. Por isso vários soldados tiveram que ir embora até que tão poucos ficassem que todos teriam certeza que eles venceram APENAS por Deus.

⇒ Deus tem o melhor para nós, mesmo se não for o que nós pensamos que é o melhor.

Daniel 3:17,18
Se formos atirados na fornalha em chamas, o Deus a quem prestamos culto pode livrar-nos, e ele nos livrará das suas mãos, ó rei.
Mas, se ele não nos livrar, saiba, ó rei, que não prestaremos culto aos seus deuses nem adoraremos a imagem de ouro que mandaste erguer".

Aqui vemos Ananias, Misael e Azarias, três jovens servos de Deus que estavam diante de um imperador. Eles se recusavam a adorá-lo, porque somente Deus deve ser adorado. A punição foi ser jogado numa fornalha em chamas. Antes de ser jogados, eles deixaram bem claro para o rei de que Deus podia livrar a vida deles dessa morte terrível, mas que o rei soubesse que, mesmo se eles morressem, o Senhor ainda é o único Deus.
Que fé é essa? Que crença é essa que diz: mesmo que Deus não realize meus pedidos, Ele ainda tem razão? É a fé de alguém que conhece a Deus. É a fé de alguém que sabe que Deus tem planos para nós, planos de bem e que Deus ouve nossas orações (Jeremias 29.11-12). Precisamos parar de crer em Deus só quando tudo vai bem. Nossa fé em Deus não deve variar com o humor ou com o número da minha conta corrente. Nossa fé em Deus deve ser inabalável.
Temos que confiar no plano de Deus. Deus sempre tem o melhor para nós.

++++++++++++++++++++++++
Quando não soubermos o que fazer temos que nos guiar em Deus e crer que Ele tem o melhor para nós. E quando Ele nos der a direção, temos que aprender a confiar Nele e esperar.
Nos momentos bons e ruins, creia em Deus. Assim como Ana, entregue seus sonhos nas mãos do Senhor com fé de que Ele pode realizá-los. Faça isso sabendo que, mesmo que Ele não realize seus sonhos, Ele faz isso porque Ele tem algo melhor para você. Confie em Deus. Tenha fé.



terça-feira, 13 de junho de 2017

Fuja da idolatria

Josué 22:16
"Assim diz toda a comunidade do Senhor: ‘Como foi que vocês cometeram essa infidelidade para com o Deus de Israel? Como foi que se afastaram do Senhor, construindo um altar para vocês, rebelando-se assim contra ele?

O povo de Israel quando conquistou a terra prometida acabou se separando em duas partes. A tribo de Rúben, Gade e metade de Manassés ficaram do outro lado do rio Jordão, enquanto o resto de Israel ficava do outro lado. Essas tribos prometeram que ajudariam a conquistar a terra prometida junto com todo Israel mas depois voltaria e se estabeleceria ali, do outro lado do rio. Eles ainda seriam a mesma nação, apenas com um rio passando no meio. Um dia essas tribos do outro lado do rio fizeram um altar e isso quase levou que as outras tribos de Israel entrassem em guerra contra eles.
O povo de Israel sempre soube que não devia adorar a outros deuses, nem estátuas, nem imagens, nada além de Deus. Por toda a Bíblia é transmitida a mensagem de que nada e ninguém deve ser adorado além de Deus. Nem cantores, nem estátuas, nem pessoas vivas ou mortas. Nada deve ser adorado, reverenciado, idolatrado. Nada deve ser digno de louvor e honra a não ser o Senhor. Na Bíblia vemos que as vezes anjos viam trazer mensagens de Deus e as pessoas se colocavam em posição de adoração. Imediatamente o anjo os repreendia, dizendo que somente Deus deve ser adorado. A Bíblia expressa que através de Jesus temos acesso ao Pai. Não precisamos de outro intermediário além de Jesus Cristo. Nem santos, nem estátuas, nem amuletos. Temos acesso ao Pai.
O povo de Israel tinha tanta consciência de que não se deve adorar a mais ninguém que foram tirar satisfações com as tribos que fizeram o altar. Depois os dois lados de Israel se entenderam e viram que aquele altar era apenas um símbolo que mostrava que, mesmo estando separados por um rio, eles eram uma só nação, adorando a um só Deus.
Israel já tinha sofrido muito por causa da idolatria e sabiam mais do que ninguém que somente Deus é digno de nossa adoração. Que isso seja verdade na sua vida e somente Deus tenha o primeiro lugar e seja o alvo de sua dedicação e adoração. 

terça-feira, 30 de maio de 2017

Família unida em Deus


Jó 1.4-5
4. Seus filhos costumavam dar banquetes em casa, um de cada vez, e convidavam suas três irmãs para comerem e beberem com eles.
5. Terminado um período de banquetes, Jó mandava chamá-los e fazia com que se purificassem. De madrugada ele oferecia um holocausto em favor de cada um deles, pois pensava: “Talvez os meus filhos tenham, lá no íntimo, pecado e amaldiçoado a Deus”. Essa era a prática constante de Jó.

Todos nós conhecemos a história de Jó. O homem que passou por muito sofrimento e ainda assim permaneceu fiel. Porém pouco se fala sobre Jó, o pai de família. Antes de uma história de sofrimento e de família destruída, vemos que Jó era um pai exemplar. Ele ensinava seus filhos nos caminhos do Senhor e sempre intercedia por eles. Ele sempre os lembrava de se purificarem. Era de madrugada, mas lá estava Jó orando pelos seus filhos. É uma bela imagem de um pai. O pai e a mãe que servem a Deus se esforçam para criar os filhos nos caminhos de Deus. É isso que Deus deseja para a nossa família. Pais que servem a Deus, filhos sendo ensinados no caminho certo.
Uma das coisas mais difíceis para os pais devem ser criarem os filhos em um bom caminho é vê-los escolhendo uma vida de perdição. Jó, assim como qualquer pai ou mãe, não podia forçar o filho a andar com Deus, mas podia ensinar, guiar, repreender e sempre interceder.
Cada um de nós é responsável por si mesmo diante de Deus. Apesar disso, Deus criou a família como o núcleo onde nós vivemos e crescemos. Claramente a família é muito importante para nós, mas também é importante para Deus. Você quer ver sua família unida em amor? Deus também quer. Ele quer que você lute para manter sua família unida.

--> Pais: Deus quer que você ensine seus filhos nos caminhos do Senhor.

Deuteronômio 6:6-7
6 Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração.
7 Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar.

Como é que você ajuda seus filhos a conhecerem a Deus? Os incentiva e os traz à escola dominical? Lê a Bíblia e ora com ele? Conversa com ele sobre as coisas de Deus? Fornece material para que ele estude a palavra de Deus? Faz um culto no seu lar? Oram juntos?
Cada um tem seu jeito de criar os filhos, mas Deus nos diz em Deuteronômio que devemos ensinar com persistência. Isso quer dizer que não devemos desistir. Em casa, na rua, em todo momento, nossa vida tem que ser uma vida com Deus e nossos filhos devem ser capazes de perceber isso. O seu filho tem que ser capaz de olhar para sua vida e entender que você é um servo de Deus e que isso é bom.

--> Pais: Deus quer que vocês corrijam seus filhos

Provérbios 29:15
A vara da correção dá sabedoria, mas a criança entregue a si mesma envergonha a sua mãe.

Quantos pais e mães esqueceram de como dizer não aos filhos? Vivemos numa época em que o pais querem ser “amigões” dos filhos, mas não querem ensinar e corrigir. A Bíblia nos fala que corrigir é sim função dos pais. Tem um ditado que diz que quem ama, corrige. Da mesma maneira que Deus corrige o povo de Israel quando eles se afastam dos caminhos corretos, um pastor usa seu cajado para corrigir o caminho da ovelha e impedir que esta caia e se machuque, da mesma maneira, um pai ou mãe que ama, corrige o filho. Por mais difícil que seja ser duro com os filhos, e eles não compreenderem o porquê de você estar fazendo aquilo, existem correções que vem para o bem. Deus é um pai que corrige em amor. Devemos aprender com Ele a fazer o mesmo buscando sempre o bem de nossos filhos.

--> Filhos: Deus quer que você honre seus pais

Dt 5.16.
16. “‘Honra teu pai e tua mãe, como te ordenou o Senhor, o teu Deus, para que tenhas longa vida e tudo te vá bem na terra que o Senhor, o teu Deus, te dá.

Deus quer que você seja um filho obediente e que honre seus pais. Que seus pais possam olhar para você e ter orgulho da pessoa que você se tornou. Que sua vida não traga vergonha a sua família, mas felicidade. Honrar os pais é tão importante que é o único dos 10 mandamentos que tem uma recompensa embutida. Deus vai recomensar àqueles que honram seus pais e sua família. Será que seus pais olham para você e ficam feliz em como você se tornou uma pessoa madura e sábia no Senhor? Tomara que sim.

--> Pais e filhos: Deus quer que você perdoe sua família

Gn 45.4-5
4. “Cheguem mais perto”, disse José a seus irmãos. Quando eles se aproximaram, disse-lhes: “Eu sou José, seu irmão, aquele que vocês venderam ao Egito!
5. Agora, não se aflijam nem se recriminem por terem me vendido para cá, pois foi para salvar vidas que Deus me enviou adiante de vocês.

José era um entre muitos filhos. Os seus irmãos sentiam inveja por ele ser o predileto do pai. Por causa dessa inveja fizeram uma armadilha e o venderam como escravo, assim ele desaparecia e ainda faziam um dinheirinho. José passa por muitas coisas no Egito, onde ele era escravo. Apesar disso, em tudo Deus o fazia prosperar e com o passar dos anos ele deixou de ser escravo, virou conselheiro e foi subindo na carreira. Cerca de 20 anos depois, já na posição de governador do Egito, a região passa por momentos de fome, mas graças a uma estratégia de José, o pais ainda aguenta firme. Muitos vêm ao Egito em busca de comida e entre eles, os irmãos de José, que o tinham vendido e não o reconheciam. Eles venderam um jovem a escravidão e agora estavam diante de um homem que era grande líder do maior país que existia. Eles não reconheciam o irmão, mas José sabia exatamente quem eles eram. Agora José tinha tudo em suas mãos: poder, riqueza e seus irmãos implorando por comida. Será que fôssemos nós teríamos nossa vingança? Não seria nesse momento que “pisaríamos” nos irmãos como retaliação por tudo o que nos fizeram?
José podia matá-los, prendê-los ou torná-los escravos, mas entre tudo isso, ele decidiu perdoar. Ele viu que naquilo tudo havia um plano de Deus e esqueceu tudo de mal que os irmãos tinham feito. Ele queria seus irmãos de volta! Ele queria seu pai de volta! Ele queria sua família unida de novo.

Gn 45.9-11

José chama sua família para perto novamente. Voltem para casa e chamem nosso pai. Digam a ele que estou vivo e vem morar aqui comigo. Vocês têm um lugar para morar e vou sustentar vocês.
Que vingança é essa? Eu te perdoo e vou te dar um lugar para morar e sustento?! Não é vingança. É o amor e o perdão que vem de Deus.
Quantos de nós não guardamos mágoas de nossos familiares? Por que será que é mais fácil perdoar um amigo mas quando é família guardamos raiva por muito tempo, talvez para sempre? A Bíblia nos alerta várias vezes que devemos aprender a perdoar, pois só assim seremos perdoados por Deus. Você quer que sua família seja salva, conheça a Jesus e encontre a salvação? Ótimo! Porém, entramos em contradição quando vivemos em guerra com nossa família mas queremos que eles tenham a paz no céu. Será que parte do motivo porque Deus criou a família não foi justamente para aprendermos a conviver, amar e perdoar? Você pode escolher seus amigos, pode escolher se quer casar e com quem, mas não pode escolher sua família. Você tem que aprender a amá-los e perdoá-los. As vezes isso é um esforço grande, mas Deus, Aquele que nos ensinou a amar e a perdoar, nos fortalece para que através Dele, a vontade de Deus seja feita em nosso lar.

*******************
Sua casa assim como sua família tem pilares que a sustentam de pé. As paredes formam a casa e impedem que ela caia. Uma vez Deus disse para mim que eu era um pilar em minha casa e eu entendi aquilo, mesmo muito novo. Eu, como filho, não tinha dinheiro nem poder para tomar as decisões naquela casa, mas eu podia escolher ajudar. Eu podia trazer paz em vez de problema. Eu poderia ajudar a acabar com discussões em vez de colocar mais lenha na fogueira. Mesmo criança, eu podia ajudar. Ser mais um pilar para manter minha casa de pé. Mesmo hoje, décadas depois, eu vejo o quanto Deus abençoou nossa casa. Minha mãe as vezes nos diz o quanto ela está feliz com o quanto minha irmã e eu crescemos e com o rumo que tomamos em nossa vida. É muito satisfatório para mim, como filho ouvir algo assim. Mas continua sendo meu trabalho honrar meus pais e ajudar a manter minha família unida.
Deus tem diferentes chamados e ministérios. Alguns pregam, outros louvam. Mas tem um chamado que Deus tem para cada um de nós. O chamado no nosso lar. De ser uma benção, não só para os outros, mas na nossa casa, no meio de nossa família. De trazer palavras de amor e perdão e não discussões. De ser um pilar que ajuda a sustentar a casa e não de ser uma pedra de demolição. Deus nos chama para termos uma família forte. Não podemos fazer milagres, mas Deus pode. Ele pode mudar corações, transformar vidas e Ele quer que você seja usado por Ele na sua casa para trazer bênção lá também.